Wishful Thinking

Publicado: julho 30, 2007 em general insanity, sketches

Contato. Estamos dentro do carro, é meia-noite e o sol ainda brilha sobre nossas cabeças. Aumentamos a velocidade. As manchas no asfalto se tornam borrões e as placas prendem sons a medida que passamos por elas. Há marcas de sangue no porta-luvas. Eu ignoro isso enquanto olho para Lucas ao meu lado. Seu olhar permanece vidrado na estrada e suas mãos apertam a direção tão forte que posso ouvir seus ossos estalando. Uma gota de suor escorre de sua testa e passa do lado do olho. Ele nem nota. No banco de trás, Margaret geme baixinho, numa tentativa tola de fazer com que esqueçamos que ela está lá. Sua dor é tão grande que eu sinto náusea e quase peço para descer do carro. Um som absurdamente alto invade meu universo e ameaça tomá-lo por completo. Tenho a sensação de estar sendo alçado pelos braços e dependurado para secar. Sinto um esparramar quente sobre meu colo e minha cabeça fica leve. Eu olho para a frente e o sol queima minhas retinas como punição. Ouço a voz inflamada de Olívia pedindo a deus que faça disso apenas um pesadelo e ouço-a ser interrompida por um baque doentio. O sol desaparece e mergulhamos em silêncio.

Meses depois, enquanto eu acordo no meio de mais uma noite com os olhos doendo e tentando esquecer aquele som, eu amaldiçôo Olívia e o deus dela. O que ela pediu, aconteceu.

Virou um pesadelo.

Anúncios
comentários
  1. V. disse:

    uuuuuuu nossa que legal!! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s