The Harsh Light of Day

Publicado: novembro 11, 2008 em general insanity, real life, sleep deprivation

Um momento. Uma sala. Uma conversa.

Cansado. Dormindo pouco. Das quatro às seis. Das três às seis. Das quatro à sete. Dia inteiro cercado de luzes fluorescentes. Tela de cristal. Tela de cristal. Tela de cristal.

É onde eu vivo agora. Entre telas de cristal. Entre o anoitecer do apagar das luzes. Do ônibus fechado com cheiro de manhãs perdidas. Onde os sonhos se acabam.

Ou viram verdade.” 

Será que eles tornam-se verdade, ou enxergaram a verdade?

Anúncios
comentários
  1. A Confeiteira disse:

    Enxergaram. Definitivamente.

  2. V. disse:

    “…o anoitecer do apagar das luzes. Do ônibus fechado com cheiro de manhãs perdidas. Onde os sonhos se acabam.”

    nossa, que sensação familiar. mas na minha sinestesia são entardeceres perdidos, ao invés de manhãs.
    que interessante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s