An Unkindness

Publicado: junho 20, 2008 em general insanity, real life

Parecia uma quermesse: multidão e uma capela. O céu, um pântano de ponta-cabeça, onde a segurança era a da solidez das nuvens. Vozes ao longe, meio-entendidas, ânimos que se “enormecem” com o horizonte. Risadas sem-contexto, sem-vida. A mosca pousada ao lado do calçado, o calçado deitado de lado na laje, a laje fervendo sob o poder do sol. Os netos órfãos, fendidos e perdidos. A lágrima caindo rumo a um derradeiro momento. O som dos saltos rumo ao fim. A dor no som. A dor deles é tão grande que é quase minha.

O bip do alarme faz meu coração disparar e eu não sei por que.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s