The Unending Abyss

Publicado: outubro 4, 2007 em general insanity, real life

Correndo ao redor do Sol sem um lugar para chegar. Esta deve ser a sensação de um monte de gente, ou pelo menos eu acho que seje. “Seje”. Nem sei se isso está correto. Eu lembro da minha avó falando isso. Eu não vejo muito ela. Nem meu avô. Vejo mais a minha outra avó. Vejo meu pai. Minha mãe. Meu tio. Minha irmã. Minha madrasta. Meus amigos. Não vejo alguns amigos também, e eles também não me vêem. Alguns vêem, e ficam calados. Alguns sentem coisas mal resolvidas. Eu também sinto. Alguns amigos se perderam. Nenhum parente ainda. Não dos que eu mencionei. E eu me perdi também.

É difícil para eu notar o quão perdido eu estou. Eu não lembro da minha infância, de meus pais juntos. Eu lembro das minhas aventuras adolescentes. Lembro das minhas brigas e das minhas mentiras de pirralho. Lembro de quando eu fui mais insensível e de quando eu fui sensível demais. Lembro das guerras que eu comecei, das batalhas que lutei e das causas que perdi. Lembro também dos corações que parti, e lembro dos que partiram o meu.

Meus pais sempre tiveram um enorme problema comigo. E eu sempre me senti… errado com isso. Eu lembro deles dizendo que parecia que eu não fazia parte daquela família. Que eu me excluía daquelas relações. Mas eu não lembro dessa família que eles dizem que eu deveria fazer parte. Como poderia pensar em algo que não existe em minha memória? Como poderia excluir-me de algo que eu nem sabia existir?

E eu me mantive à distância. Com ou sem consciência disso. Mas através das longas voltas, eu encontrei muitos corredores. Alguns se afastaram, outros caíram e dançaram comigo por aeons antes que caíssemos de vez ao chão. E nos levantamos. E nos reencontramos. Eu amei alguns desses dançarinos apressados. E acho que alguns deles me amaram de volta, nem que por breves momentos entre dois piscar-de-olhos. E nós continuamos correndo.

Definitivamente, estou perdido quanto ao que quero dizer aqui, porém uma coisa eu tenho clara.

Eu tenho uma família que amo. Ela só não é a que as pessoas querem que ela seja.

Ou seje.

Feliz Aniversário Rachael e Dan.

Anúncios
comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s