Essay on Humanity

Publicado: fevereiro 25, 2007 em general insanity, series

Estava eu vagando por entre os fotologs de vários conhecidos meus quando topo com o seguinte texto:

We’re all damaged, it seems. Some of us, more than others. We carry the damage with us from childhood, then as grownups, we give as good as we get. Ultimately, we all do damage. And then, we set about the business of fixing whatever we can.

We all go through life like bulls in a china shop. A chip here, a crack there. Doing damage to ourselves, to other people. The problem is trying to figure out how to control the damage we’ve done, or that’s been done to us. Sometimes the damage catches us by surprise. Sometimes we think we can fix the damage. And sometimes the damage is something we can’t even see.

Meredith
Grey’s Anatomy
Season 02, episode 24

Isso estava no fotolog da Clarissa.

Eu sempre tentei ser um adepto da filosofia do copo-meio-cheio, mas em alguns dias é mais difícil do que outros. E em alguns dias é bem ruim. Alguns desses dias ruins, estou me sentindo como Meredith descreve: machucando coisas e pessoas em volta, e até a mim.

Mas não estamos completamente perdidos. Meredith descreve que mesmo que estejamos fazendo dano nas pessoas em volta de nós, de alguma maneira estamos tentando reparar isso.

Enquanto houver vontade de sermos melhores uns com os outros, podemos. Mesmo entre as nossas repetidas falhas.

Mesmo entre os nossos insubstituíveis sucessos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s